Como usar as mídias sociais para dar “alma” a uma marca

Pessoas gostam de pessoas. Tudo bem, pessoas também gostam de marcas. Marcas não gostam de pessoas. A Harley Davidson nunca se apaixonou por ninguém, mas várias pessoas já se apaixonaram pelas estilosas Harleys; são as Lovemarks.

E como criar Lovemarks? São diversas táticas, estratégias e conceitos de marketing para criar uma marca apaixonante, desde o design e a inovação do produto, o ponto-de-venda, a publicidade, patrocínios a eventos e personalidades e principalmente a relação com os stakeholders. Com as novas mídias, essa relação com os públicos de interesses ficou facilitada.

A integração e proximidade dos conceitos de Branding e Social Media Marketing já é uma realidade, agora é o momento de acrescentar os elementos psicológicos, como a personalidade e a alma da marca; o Branding Soul.

Estratégia

Personalidade é uma alma única e autêntica e marcas com estas características apaixonam pessoas. Além das características psicológicas da marca, em algumas mídias sociais, como o Twitter, algumas marcas já humanizaram seus perfis, identificando quem é a pessoa que está responsável naquele momento pelos tweets, citando quem é a @fulananaDell que está tweetando.

Redes Sociais, microbloggings, blogs, sites de compartilhamento de foto e vídeo são ótimas maneiras de mostrar a alma de uma marca. Pensar em quais adjetivos poderiam ser utilizados para definir uma marca é um ótimo exercício.

Definidos os adjetivos que caracterizam a marca, o ideal é se traçar um planejamento estratégico definindo o tipo de linguagem que será utilizado para gerar conteúdo e relacionamento. Marcas com alma contam histórias e geram engajamento.

Atentar para o consumer generated media — a mídia gerada pelo consumidor — e sobre como as empresas devem usar o branding soul com esse consumidor são análises que devem ser feitas no processo de humanização das marcas.

A Nike é um exemplo de uma marca com uma identidade própria, facilmente reconhecida, ligada a esportes de alto rendimento associada a mensagens com entretenimento. As mensagens da Nike também são semeadas nos locais corretos e viralizadas rapidamente.

Conversas

Conteúdo gera conversação. Nas Mídias Sociais, conteúdo relevante gera reputação. Reputação gera seguidores no Twitter, amigos no Facebook, visualizações de fotos no Flickr, perguntas no Formspring, check-ins no Foursquare e vídeos exibidos no YouTube, o que proporciona mensagens retransmitidas. Além de divulgar suas impressões sobre os produtos e serviços, cerca de 80% dos blogueiros comentam sobre as marcas que amam.

E como encontrar este público apaixonado? O processo de pesquisa em marketing e em comunicação consiste basicamente em quatro etapas; definição do problema e dos objetivos da pesquisa, desenvolvimento do plano de pesquisa, implementação do plano de pesquisa e a etapa que considero mais importante que é a interpretação das métricas. Métricas bem interpretadas nas mídias sociais facilitará muito o desenvolvimento da alma da marca.

Voltar para todos os artigos